quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Cirurgião do maior pronto socorro do Rio cria 'manual do baleado'

Dr. Seixas dá conselhos e diz que é preciso conhecer fala dos assaltantes. Ao ouvir "perdeu, perdeu", a vítima deve se acalmar e não reagir.

Aluizio Freire Do G1

Diante de muitos atendimentos - a ponto de perder a conta - de pessoas baleadas na Emergência do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, o médico Antônio Carlos Seixas, cirurgião torácico, decidiu elaborar uma publicação inusitada. Criou o “Manual do Baleado”, com recomendações de como as pessoas devem se comportar diante de um assalto ou quando for ferido.

“Se ouvir uma voz se aproximando dizendo ‘perdeu, perdeu!’, acalme-se, não reaja. Você está sendo assaltado”, afirma o médico em uma das dicas do manual. “Não agarre, nem atrapalhe bandidos em fuga”, é outra recomendação.

Trabalhando no Hospital Souza Aguiar há 32 anos, unidade que é considerada a maior emergência da América Latina e um dos principais hospitais gerais públicos do país, o médico, que foi assaltado há pouco mais de um ano, diz que as pessoas que vivem em uma cidade violenta precisa saber como agir ao ser assaltado.

“É preciso saber o que fazer e o que não se deve fazer. E descobri que não existe nenhuma literatura de alerta às pessoas. Nem a polícia possui nada parecido”, acrescenta.

Algumas dicas de comportamento chegam a ser óbvias, mas ele acha que precisam ser reforçadas. Coisas como: “Não ande à noite por ruas desertas e escuras; assim que ouvir tiros por perto não vá ver o que aconteceu.”

Alguns conselhos do Dr. Seixas

- Se ouvir uma voz se aproximando dizendo perdeu! perdeu!, acalme-se; não reaja; você está sendo assaltado;

- Não reaja a assaltos à mão armada, mesmo ao volante;

- Não agarre, nem atrapalhe bandidos em fuga;

- Dirigindo veículos, não discuta; não reclma e não responda às provocações; mesmo com toda razão!


Caso seja baleado, o médico recomenda:


- Não se apavore, só corra se for para não ser mais atingido;

- Peça ajuda à amiga mais próxima dizendo: "Socorro! Fui baleado!"

- Se sangrar pela ferida, comprima o local com a mão ou com pedações limpos da própria roupa;

- Se sair ar pela ferida, não a tampe;

- Evite ao máximo falar, gritar, gemer, chorar, correr, gesticular ou andar à toa, pois poderá agravar, em muito, o seu estado;

- Aguarde de preferência deitado sem beber e comer nada. Só conte o acontecido se realmente (for) preciso.


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais Lidos